top of page

Quem respeita a própria história tem coragem para mudar




Encerrando 2023 com acolhimento e aspirando novos e bons tempos.


Natana Magalhães, mulher negra, historiadora e voluntária AF



Em respeito à história de recuperação que estamos construindo, precisamos estar atentas a possíveis gatilhos emocionais acionados nessa época de festas de fim de ano devido a diversos motivos, como: desgastes familiares, confraternizações muitas vezes desagradáveis, estímulos desenfreados para todo tipo de consumo, aquela sensação de “gostaria que esse ano acabasse logo!”, superexposição a locais com bebidas e assim por diante.


Sem contar que, também é um período em que muitas mulheres estão lidando com sobrecarga de trabalho produtivo e reprodutivo, além do acúmulo de diversas funções na família. Mas, escrevo também para lembrá-la que despertar não é se punir, ao contrário, é acessar recursos disponíveis e recordar que você não está sozinha.

A rede de apoio que você já conhece e pode acionar ganhou reforço neste mês de dezembro. A Associação Alcoolismo Feminino tem enfatizado essa informação em nossa Newsletter, nas redes sociais, nas nossas reuniões, pois entendemos e também lidamos com os desafios que podem ser gerados nesse contexto.


Para a nossa qualidade de vida, de forma geral e recuperação em particular, faz muito sentido nos dedicarmos a algumas práticas de autocuidado, que podem incluir desde um banho perfumado e fresco, para trazer conforto depois de um longo dia, até o compromisso em seguir firmemente os 15 passos do nosso Combo de Recuperação. Sabemos que este último tem a finalidade de ajudar a nos manter sóbrias e conectadas e está disponível a todas as associadas. Ressalto que eu o tenho praticado há oito meses.

O mês de dezembro vai chegando e parece que apertamos um botão de retrospectiva, não é mesmo? Nas últimas duas semanas, estive reflexiva sobre o quanto eu aprendi neste ano. Enquanto escrevo, lido com a emoção de um sentimento muito mágico e intenso de hoje fazer oito meses de recuperação, junto a uma sensação de orgulho de cada 24 horas que vivi nesses 244 dias. Entendedoras entenderão que nunca imaginei que eu fosse me interessar em saber quantos dias tem um período de oito meses.


Gosto de compartilhar algumas experiências em meus textos no Blog, porque minha intenção é a de dialogar com quem lê. Quando pesquiso uma informação, dou uma dica, apresento algum dado; todo esse trabalho me nutre antes mesmo que possa ser lido por mais alguém e eu espero que seja lido por muitas pessoas, pois 2023 tem sido o ano em que eu tenho respeitado a minha própria história com mais paixão. Bem como passei a incluir na minha vida o desejo de falar, pesquisar, informar, atuar politicamente sobre recuperação de mulheres alcoolistas.


O caminho da recuperação é contínuo como a própria vida. É de autoconhecimento ou de reORIentação¹ e para se reorientar e ganhar novos rumos é necessário, também, obter novas referências, senão arriscamos caminhar com passos largos por lugares já conhecidos e áridos. Talvez você esteja passando por algo similar por aí e também queira dar o seu primeiro passo.


Para isso, eu precisei entender o que faz parte de mim. Eu não queria que o alcoolismo fizesse parte da minha vida, mas faz. Encarar de frente essa realidade é um choque, mas somente com esse reconhecimento foi possível observar todas as outras coisas que também compõe a minha história e o quanto ela é grandiosa, linda, cheia de complexidades, episódios ruins, dias maravilhosos, uma baita vida, porque eu sou uma baita mulher, assim como você que está lendo é incrível.


Nesse ímpeto de coragem para mudar e aspirando um novo ano de muita autonomia, sobriedade e amor-próprio para nós, eu encerro com uma filosofia de povos africanos Akan chamado Sankofa, representada por uma ave mítica que nos ensina que “nunca é tarde para voltar e pegar aquilo que ficou para trás”.


Portanto, tudo o que tivemos coragem de mudar neste ano nos mudou também e com muito respeito a quem somos, diante daquilo que ainda não conseguimos, vamos dizer que nunca é tarde. Vamos sóbrias e juntas!

Boas Festas!

 





¹ jogo de palavras e seus significados, entre reorientação em língua portuguesa e orí palavra em Yorubá que significa, grosso modo, a nossa consciência e sua integração de pensamentos e emoções. Também pode ser considerada como uma divindade.

 

 

41 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page