top of page

XI - Como fazer críticas construtivas - parte 2

Se você ainda não conhece a técnica do sanduíche, é ela que vamos te ensinar hoje para que tenha mais uma ferramenta para usar para realizar críticas assertivas, sempre que necessárias!



  • Primeira fatia do pão: comece por um elogio sincero. Não invente porque o outro sabe quando é uma mentira (Exemplo: Ao ir ao banheiro fazer xixi, meu filho molha o banheiro. Se eu o chamar de porcalhão, além de ser ofensiva, não estarei focada no comportamento e a mudança que desejo não vai acontecer. Eu posso procurar elogiar algo que admiro no meu filho, como ele ser muito responsável com seu trabalho, então: “Eu admiro muito o quanto você se compromete com o trabalho.”).

  • Primeiro recheio: comportamento a ser criticado. Foque no comportamento e em como você se sente quando ele ocorre (Exemplo: “Quando você vai fazer xixi, e respinga pelo banheiro, eu fico muito irritada porque sou sempre eu que tenho de limpar.”).

  • Segundo recheio: o pedido. Ele precisa ser específico e focado na mudança desejada ao comportamento criticado (Exemplo: “Eu gostaria que você fosse mais cuidadoso quando for ao banheiro e, se por acaso acabar respingando, você limpe, por favor.”).

  • Segunda fatia do pão: liga o elogio inicial com o pedido realizado (Exemplo: “Você é muito responsável e tenho certeza de que ajudará a manter nossa casa limpa. Obrigada!”).


Atenção: evite o uso do “MAS”, principalmente depois do elogio, pois ele tira o foco do elogio, despertando a atenção totalmente para a crítica. Na técnica do sanduíche é proibido usar o “MAS” após o elogio ou qualquer outra palavra/expressão que desqualifique.


Isso não garante que a mudança irá ocorrer, mas aumenta a probabilidade. Não temos a garantia de que a mudança irá ocorrer, mas a técnica aumenta a probabilidade. Talvez você tenha que repetir algumas vezes. Por isso, bora praticar! Pegue uma situação passada em que você não foi bem-sucedida e use a técnica do sanduíche. Descreva a situação e identifique o que realmente te incomoda, sua necessidade não atendida, como se sente e o que gostaria que fosse mudado. Repita com outras situações!


--------


Todas as atividades do nosso Baralho da Recuperação, divulgadas do dia 16 a 31 de dezembro, foram propostas durante o ano, em nosso grupo terapêutico de prevenção de recaídas, pela psicóloga e vice-presidente da nossa Associação, Cláudia Leiria (@psiclaudialeiria)


Referências Bibliográficas - São ótimas dicas de leitura e para presentear também!


  • Tratando a dependência de álcool - um guia de treinamento das habilidades de enfrentamento - 2ª edição. Autores: Peter M. Monti, Ronald M. Kadden, Damaris J. Rohsenow, Ned L. Cooney e David B. Abrams. Editora: Roca.

  • Conhecer-se é amar a si próprio - exercícios para desenvolver a autoconsciência e para realizar mudanças positivas e encorajadoras. Autores: Lynn Lott, Marilyn Matulich Kentz e Dru West. Editora: Manole.

  • Caderno de exercícios para cuidar de si mesmo - 3ª edição. Autora: Anne Van Stappen. Editora: Vozes.

  • Caderno de exercícios de inteligência emocional - 2ª edição. Autor: llios Kotsou. Editora: Vozes.

  • Caderno de exercícios para viver sua raiva de forma positiva. Autor: Yves-Alexandre Thalmann. Editora: Vozes.

  • Dinâmicas de grupo e atividades clínicas aplicadas ao uso de substâncias psicoativas. Organizadoras: Neliana Buzi Figlie e Roberta Payá. Editora: Roca.

  • Tratamento do uso de substâncias químicas - Manual prático de intervenções e técnicas terapêuticas. Organizadores: Ronaldo Laranjeira, Helena M. Takeyama Sakiyama e Maria de Fátima Rato Padin. Editora: Artmed.

  • Programa Terapêutico para o tratamento da dependência química. Autora: Luana Gama Wanderley Leite. Editora: Edições Loyola.



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


A Associação Alcoolismo Feminino existe para ajudar mulheres em sofrimento pelas consequências de seu modo de beber, por meio de um espaço de acolhimento, compaixão e respeito, sem julgamentos nem preconceitos.


Se você precisa de ajuda, entre em contato conosco pelo site:ww.associacaoaf.org/queroajuda

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page